Ao suplementar a B12, que modificação sentirei no meu organismo?

Não acredite que você vai virar um triatleta ou se sentir eufórico ao iniciar a suplementação de B12. 

Os efeitos para o organismo são bastante visíveis quando a pessoa tem deficiência com SINTOMAS.

Caso contrário, ou seja, se você AINDA não está com sintomas de deficiência e apenas com níveis mais baixos do que o recomendado, talvez sinta pouca ou nenhuma diferença ao tomar o suplemento.

Isso não significa que você não deve tomar, e sim que, caso não seja tratada a deficiência, é só uma questão de tempo até aparecer a sintomatologia.



De quais alimentos obtemos a vitamina B12?

A deficiência de vitamina B12 é muito comum em bariátricos, mas pode ser evitada com uma dieta nutricionalmente adequada.

Para os seres humanos, a maior ingestão de vitamina B12 ocorre a partir do consumo da carne animal, laticínios e ovos. No caso dos vegetarianos, por meio de ovos, leite e laticínios. Já nos vegetarianos estritos, a ingestão de B12 por intermédio dos alimentos pode ser considerada nula ou desprezível. Caso ocorra, será em quantidades mínimas produzidas por bactérias presentes nas plantas. 

E você? Está ingerindo a quantidade correta de vitamina B12 em sua dieta? Converse com seu nutricionista!




Acompanhamento nutricional pós cirurgia bariátrica

Então você já fez a sua cirurgia e deu tudo certo! E agora? O que fazer em relação à alimentação quando ela atinge a consistência normal?

Bom, essa é a grande dúvida da maioria dos pacientes. Grande parte realiza o acompanhamento corretamente durante as fases líquida e pastosa e, quando chega à fase normal, acredita que não é mais necessário realizar visitas regulares ao nutricionista e a toda a equipe multidisciplinar. Por fim, acaba abandonando o tratamento.

Alguns pontos devem ser observados e analisados no pós operatório, como:

  • a importância da avaliação dos exames laboratoriais. Se você possui alguma deficiência de vitaminas e minerais (o que é muito comum de acontecer) a hora de suplementar é agora e não quando você começar a ter sintomas. Algumas deficiências podem ser irreversíveis se não tratadas a tempo;
  • como adequar o seu cardápio ao seu novo estilo de vida. Não adianta continuar com aquele pensamento de que "vou comer só um pouquinho porque não cabe mesmo" e esse "pouquinho" for de péssima qualidade nutricional. Tenha certeza de uma coisa: agindo dessa forma é só uma questão de tempo até você engordar de novamente;
  • alguns alimentos que você gostava de comer antes costumam não ser mais bem toleradas, principalmente se forem ricos em gordura e açúcar. Como substituir esses alimentos, realizar trocas nutritivas e saborosas deve ser acordado com o seu nutricionista;
  • provavelmente você começou a fazer atividade física e seu plano alimentar deve ser adequado de acordo com o horário e tipo da sua atividade;
  • a manutenção do plano alimentar a longo prazo é de sua responsabilidade. Em caso de dúvidas você deverá entrar em contato com o seu nutricionista e evitar seguir a dieta da vizinha, da amiga, de blogueira fitness ou do grupo de bariátricos do seu whatsapp. Lembre-se que cada paciente é único e tratamento da obesidade é coisa séria!

Vale lembrar que, após a evolução da dieta para a consistência normal, nem sempre é necessário ir ao nutricionista mensalmente, suas consultas podem ser espaçadas. Quanto mais certinho você seguir as orientações, melhor será o seu resultado, sua saúde será mantida e você não terá problemas futuros.

Realizando suas consultas com a adequada periodicidade, você não precisará "correr" ao consultório porque abandonou o tratamento e agora começaram a aparecer vários problemas, inclusive o tão temido reganho de peso. 

Invista em você e evite que isso aconteça!